terça-feira, 17 de novembro de 2015




deixa-me lá pôr os óculos para ver se consigo ler bem as declarações que já se vão ouvindo por aí, nesta semana que antecede mais um derby...
acho que sim, que estou a ver bem.
referências a arbitragens, benefícios e prejuízos, campanhas orquestradas, comentadores alinhados, etc.
nada de novo, portanto.
em Portugal, os jogos importantes são preparados, fora das 4 linhas, com muito tempo de antecedência, porque, quem o faz, está convencido que vai retirar dividendos da pressão que coloca.
errado.
não foi pelo facto de ter optado por uma agressiva política de confrontação com o Benfica que o Sporting ganhou os dois derbies anteriores.
ganhou, apenas, porque foi melhor.
pelo que se se chega à conclusão que essas rebuscadas estratégias são desnecessárias, inúteis, ultrapassadas.
só consomem tempo e paciência.
a quem as pensou e, principalmente, a quem tem de levar com este folclore diariamente.

3 comentários:

Valdemar Iglésias disse...

Quem deu início a essas práticas não foi o Sporting. Recorde-se o folclore dos ataques pessoais ao JJ antes do jogo da supertaça. Entre outros fait-divers.

Cabanas disse...

O conta é dentro das 4 linhas... tudo o resto é conversa da treta... fazendo o paralelo para a política, o que contou foi o voto no dia 4 de outubro, tudo o resto é coisa de políticos e eles que se entendam... não perco tempo nesse tipo de discussões... até porque não o tenho...

linha avancada disse...

apoiado.