quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Viva pessoal,

Confirmou-se.

O projecto de Queirós morreu, ontem, à noite, em Oslo, no derby do bacalhau.

Portugal perdeu, por 1-0, (golo de Eduardo na própria baliza – já lá vamos) e foi tudo bastante deprimente, do primeiro ao último minuto.

Jogadores amorfos, Queirós (sempre ele!) Na bancada, Madail em casa, doente, agostinho sem saber o que fazer, enfim, uma triste tristeza, que até faz chorar as pedras da calçada.

1 -0.

Eduardo deu barraca outra vez.

Quem diria que este homem, depois do mundial que fez, ia dar a casa que anda a dar (primeiro com o Chipre, agora com a Noruega) e é a isto que todos os benfiquistas se agarram para esperarem ainda grandes cometimentos de roberto.

“Mas então vocês não vêm o Eduardo a dar uma barraca monumental? É como o Roberto! Isto é psicológico! Isto passa”

É como aquela historia do tipo que está com uma grande cadela e diz para uma senhora que ia a passar:

É pá você é tão feia! Mas tão feia!

E ela:

E você, seu bêbado?

Está bem… diz o bêbado…

Mas a mim passa-me…

Assim estão o Eduardo, assim está o Roberto (desejam ardentemente os benfiquistas), assim não está o Ricardo que nunca mais se levantou depois dos frangos na selecção.

Bom, mas o jogo, o jogo, vamos falar do jogo.

Como é que foi o jogo?

Agostinho deve ter visto outro jogo.

Ele diz que Portugal controlou sempre o jogo.

Não.

Nada disso.

Quem controlou sempre o jogo foi a Noruega.

Que marcou o golo e deixou-nos ali a rabear, a fazer que atacávamos, até ao fim do jogo.

E depois temos as substituições.

A perder, Agostinho (ou Queirós) ou lá quem foi, só meteram o Liedson ao pé do Hugo Almeida a 8 minutos do fim e nem sequer esgotaram as alternativas. Ficou uma substituição por fazer.

E agora ficam varias substituições por fazer.

E toda a gente sabe quais são.

A começar na equipa técnica e acabar lá bem em cima.

E são os próprios jogadores quem o reclama já.

Já chega.

É.

O assunto Queirós em princípio é resolvido amanhã.

Reunião de direcção da FPF marcada para quinta-feira.

Será com certeza para acabar de vez com esta história.

Paulo bento é o nome mais desejado, mas correm rumores que Madail poderá ter outras ideias que poderão ir de aragonês a Sacchi e quem sabe até a Scolari que anda à rasquinha no palmeira e com certeza vinha a correr para cá ganhar mais umas coroas.

E isso de facto seria o fim do mundo em cuecas.

Por amor de deus…

4 comentários:

Rui Moreira disse...

Então o que vai acontecer agora ao Eduardo? O Quim quando sofreu 6 golos num amigável frente ao Brasil, foi excomungado da baliza como um cão sarnento. O Eduardo dá barraca em dois jogos oficiais de qualificação para o Euro 2012 - contra o Chipre! e a Noruega - e quase não se fala nisso.

Isto não desfazendo a qualidade do nº1 da selecção nacional, a quem reconheço grande valor. Só acho que as pessoas/media são muito injustas e têm a memória curta.

Ricardo disse...

Surpreendemo-nos com a selecção (Euro 2000)
Apoiámos a selecção (Mundial 2002)
Celebrámos com a selecção (Euro 2004)
Exultámos com a selecção (Mundial 2006)
Apoiámos novamente a selecção (Euro 2008)
Decepcionámo-nos com a selecção (Mundial 2010)
Estamos de costas voltadas para a selecção (Hoje)

Eis uma síntese do percurso da relação entre a selecção e o país nestes últimos 10 anos.

Tiago disse...

O Madaíl, o grande responsável por esta caldeirada e que com tanta felicidade apresentou o Queiróz como novo seleccionador, devia aproveitar estes meses que ainda tem (infelizmente assim parece, pelo aspecto dele) e saltar fora, mas sem antes demitir o Queiróz. Esse, com tantos elogios do Fergusson deve ter emprego garantido.
Isto se o Madaíl tiver coragem/dignidade.

elxiko disse...

ninguém pode saír ilibado disto

carneiro amigo, na minha opinião, laurentino dias é um dos principais culpados desta salgalhada e está so a procura de tacho... será outra casa pia em que apenas o pedroso saiu de cena antes de se darem as culpas????

portugal lindo este, monitooooo mesmooo