quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Selecção. Queirós. Primeiro, Queirós, claro

Queirós que aceitou ir ontem à SIC dizer de sua justiça e, mais uma vez, não fez uma boa opção.

Imagino que o seu amigo Rui Santos o tenha conseguido convencer a lá ir (Rui Santos que viria, depois da entrevista, mais uma vez defender Queirós – imagino que a estrutura da coisa já devia estar montada. O Queirós vem cá, depois fala o Rui Santos e só mais tarde um debate com outros comentadores – foi uma overdose de Queirós até ao limite da tolerância humana)

Mas a coisa não funcionou.

Desde logo porque o entrevistador era o Rodrigo Guedes de carvalho que lhe cortou as vazas logo de início ficando toda a ideia que o Rodrigo é mais um cidadão que não revela qualquer compaixão por Queirós.

Queirós começou a ficar tenso, rapidamente deixou de o chamar por Rodrigo para passar a trata-lo por senhor ou mesmo por você e a coisa não funcionou.

Não funcionou.

Queirós que insiste que está a ser alvo duma cabala.

Referindo-se mesmo a todos os tipos de justiça que sobre si se abatem. Só se esqueceu da mais importante.

Da justiça divina. Que tem sido implacável para ele, reconheçamos.

Queirós queixa-se, mais uma vez, de forma implícita, de perseguição politica.

Mas reconhece que falhou quando resolveu enviar o responsável pela autoridade anti dopagem de regresso ao ventre uterino.

Embora até acrescente que o seu amigo (padrinho, mesmo) Ferguson terá afirmado quando cá veio acudir por ele que teria feito o mesmo ou pior se fosse com ele.

Enfim, Queirós lá continua a sua via-sacra, tentando defender-se de tudo o que lhe vão fazendo e tem sido bastante

2 comentários:

Tiago disse...

Apesar de eu querer ver o Quieróz o mais longe possível da selecção, acho que estes processos são, pré fraseando Ferreira Torres, uma filha-da-putice.
O Madaíl fez asneira e agora anda para ali a fingir que não é nada com ele.

Apostas Online disse...

Este caso só vem lançar mais uma acha para a fogueira do futebol português e só tachos....